-
Postado em 23 de Setembro de 2019 às 09h09

PIB do agronegócio cresce 0,53% no primeiro semestre

Mercado (146)

O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio brasileiro cresceu 0,53% no primeiro semestre de 2019 em relação ao mesmo período do ano passado, segundo a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).

O resultado foi puxado principalmente pelo segmento de insumos, que teve expansão de 7,26%, seguido pela agroindústria (1,26%) e serviços (0,65%). O setor primário, que representa a atividade dentro da porteira, teve queda de 2,04% em seis meses.

A pecuária foi o destaque dentro do resultado do PIB do agronegócio no acumulado deste ano. O segmento registrou alta de 4,65% nos primeiros seis meses de 2019, impulsionada pelo crescimento dos setores primários (10%), insumos (3,32%), serviços (2,66%) e agroindústria (1,99%).

"No caso do elo primário da pecuária, preços altos vêm sendo alcançados em 2019, com elevações importantes principalmente para frango, suínos e leite. Esse cenário, aliado a um aumento também da produção, explica o crescimento do PIB, mesmo diante de aumento dos custos de produção", explica ao estudo da CNA e do Cepea.

Na cadeia agrícola, houve retração de 0,97% no semestre. No entanto, o segmento de insumos apresentou alta de 9,08%, justificado pelo aumento de preços de fertilizantes e defensivos. A agroindústria subiu 1,09%. Já a atividade primária teve queda de 7,71%, pressionado por menores preços e alta dos custos de produção.

Junho

O PIB do agronegócio em junho caiu 0,8%, com crescimento apenas no setor de insumos (0,23%) e queda nos setores de serviços (1,03%), indústria (0,86%) e primário (0,55%).

 

Texto: Assessoria de Comunicação CNA

Imagem: Pexels

Veja também

Fumicultores perdem rentabilidade no sul do País02/06/20 Os produtores de tabaco de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul estão encerrando a safra 2019/2020 com números nada animadores para a rentabilidade do setor. A média de venda da maioria dos fumicultores está abaixo do custo de produção, repetindo o resultado da safra anterior e retraindo o desempenho dos produtores que há cinco anos trabalham com......

Voltar para EDITORIAS