-
Postado em 12 de Julho de 2019 às 09h41

Paraná de olho no peixe: International Fish Congress expõe potencial do pescado brasileiro

Eventos (85)

Cada vez mais o Brasil se abre para o potencial da piscicultura. Um exemplo é o Plano Safra (Plano Agrícola e Pecuário) 2019/20, lançado no dia 13 de junho, contemplando o setor de aquicultura e pesca. A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, ressaltou que "pela primeira vez no Plano Safra o setor será contemplado".

Conforme o secretário de Aquicultura e Pesca, Jorge Seif Junior, trata-se de uma importante atividade que agora tem privilégio no Ministério. Ainda em junho foi lançada a Frente Parlamentar em Defesa do Pescado. Durante o lançamento em Brasília (DF), Seif afirmou que o governo trabalha para o Brasil deixar de ser um importador de pescados. "O Brasil tem todas as condições de se tornar um grande produtor e consumidor desse tipo de proteína".

Um meio a esta onda favorável ao Brasil sedia evento um internacional inédito - o International Fish Congress e Fish Expo Brasil entre os dias 17 e 19 de setembro em Foz do Iguaçu, no Paraná. O IFC Brasil abre as portas para discussões importantes e urgentes no desenvolvimento da piscicultura e aquicultura nacional. Além do congresso com importantes palestrantes nacionais e internacionais, o IFC reúne apresentação de trabalhos científicos, feira e rodadas de negócios.

O evento que vai reunir todos os elos da cadeia de pescados em um só lugar tem à frente da programação e temas o ex-ministro da Pesca e consultor Altemir Gregolin "O International Fish Congress foi concebido para atender a demanda de um mercado que cresce globalmente. E neste contexto o Brasil é um dos países com o maior potencial de produção de pescados do mundo. Com esse cenário o Brasil pode transformar o pescado em alimento de consumo popular e fazer do país um grande exportador, gerando bilhões de dólares em divisas como já faz com o frango, suíno e bovino. Tenho absoluta convicção de que, pelas condições naturais que tem, a produção de pescado para o Brasil se constitui na mais nova e promissora fronteira de produção de alimentos".

O evento será realizado no Paraná, maior produtor de tilápia do Brasil e que registra uma previsão de crescimento acima de 20% em 2019. Com o apoio do Governo do Estado, o evento tem como incentivador o Governador Carlos Roberto Massa Júnior que destaca a expectativa de atingir a marca de 170 mil toneladas de carne de peixe paranaense, incremento que vem sendo alavancado pela tilápia, que representa 80% do volume total do Estado.

Os estados líderes em produção de tilápias são Paraná (123 mil toneladas), São Paulo (69.500 t.), Santa Catarina (33.800 t.), Minas Gerais (31.500 t.) e Bahia (24.600 t.), que juntos produzem cerca de 70% de toda tilápia nacional. O Oeste do estado é o maior polo de criação de peixes no Estado, representando 69% de toda a produção, com atuação em 48 municípios, próximos a Toledo e Cascavel.

A Diretora Executiva do IFC Eliana Panty destaca ainda que o Brasil tem a maior reserva de água doce do mundo. Possui 10 milhões de há de lâmina d'água represadas, uma costa marítima de 8,4 mil km de extensão, espécies nobres, clima favorável, matéria-prima em abundância para rações e aditivos. "O ambiente é favorável para isso. Segundo a FAO, o pescado é a proteína animal mais consumida no mundo, representando 35% do total. E é o principal item da pauta de exportações mundiais com 60% das proteínas animais exportadas".

Condições ideais

Mesmo sendo o maior detentor de recursos hídricos do mundo, o Brasil é o 13º país do mundo em produção de pesca, importando grande parte da proteína consumida no país. Em 2018, a produção brasileira de pescados cresceu 4,5% em relação a 2017, de acordo com dados da Associação Brasileira de Piscicultura (PeixeBr). Foram 722,560 mil toneladas. O faturamento foi de R$ 5,067 bilhões.

O principal produto da piscicultura nacional é a tilápia, da qual o Brasil é o quarto maior produtor mundial, atrás de China, Egito e Indonésia. Em 2018, a produção dessa espécie totalizou 400,280 mil toneladas, 11,9% a mais que em 2017.

Sobre o International Fish Congress

Com o lema "Das águas ao consumo" o evento tem o apoio das principais entidades do setor ABIPESCA – Associação Brasileira da Indústria da Pesca, PEIXEBR - Associação Brasileira da Piscicultura, SINDIPI – Sindicado dos Armadores e Indústria da Pesca, ABRAPES – Associação Brasileira de Fomento ao Pescado e ABPA – Associação Brasileira de Proteína Animal,CNA/SENAR e ABRAS – Associação Brasileira de Supermercadistas.

As discussões têm o apoio da FAO - Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação e MAPA através da Secretaria da Aquicultura e Pesca. Entre os apoiadores estão ainda BRDE – BRDE – Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul, Fundação Terra, Governo do Estado do Paraná, ADAPAR e EMATER. O evento tem ainda o apoio científico da UNILA, UNIOESTE, UFFS, UNIVALI e Instituto Federal Paraná Campus Foz do Iguaçu e Copacol.

 

Na foto: Diretora Executiva do IFC Eliana Panty, o governador Carlos Roberto Massa Júnior, Jorge Seif Junior e o ex-ministro da Pesca e consultor Altemir Gregolin.

Texto e imagem: MB Comunicação 

Veja também

21º Simpósio Brasil Sul de Avicultura (SBSA) é adiado17/03/20 Diante do presente cenário e informações em torno do COVID-19 (Coronavírus) veiculadas nos últimos dias, considerando se tratar de uma enfermidade emergente de gravidade reconhecida, mediante as recentes recomendações da Organização Mundial de Saúde, do Ministerio da Saúde Brasileiro, da Associação Brasileira de......
Seminário da Faesc/Senar reúne produtores de leite de SC em Chapecó14/11/19 Cerca de 1.700 produtores rurais participam do 2º Seminário Estadual do Programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) em Bovinocultura de Leite nesta quinta-feira (14 de novembro), a partir das 9 horas da manhã, no Centro......

Voltar para EDITORIAS