Postado em 16 de Fevereiro às 10h03

Secretários da Agricultura discutem ações para fortalecer o setor produtivo de lácteos

Bovinocultura (21)

Os secretários da Agricultura de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul estarão juntos nesta segunda-feira (18) para tratar dos desafios e oportunidades para a cadeia produtiva de leite. Os três estados já produzem 38% do leite brasileiro, podendo alcançar metade da produção nacional até 2020. Os membros da Aliança Láctea Sul Brasileira se reúnem na sede da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (FAEP), em Curitiba. Santa Catarina estará representada pelo secretário da Agricultura e da Pesca, Ricardo de Gouvêa, além de lideranças do agronegócio catarinense.

Na pauta do encontro estão: a apresentação das prioridades e programas de trabalho da Aliança Láctea Sul Brasileira; o debate sobre a viabilidade da exportação de lácteos produzidos no Brasil e a análise do Novo Regulamento Técnico do Leite.

Aliança Láctea Sul Brasileira
Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul se uniram para desenvolver a cadeia produtiva e ampliar os mercados para o leite produzido na região. Os membros da Aliança Láctea acreditam que o Sul do Brasil é capaz de produzir o leite mais competitivo do mundo, só que para isso o setor deve passar por uma grande transformação. Principalmente, na organização logística da cadeia produtiva, na melhoria da qualidade e na redução de custos de produção.

Produção de Leite no Sul
Os três estados do Sul produziram 12,8 bilhões de litros de leite em 2017 – 38% do total produzido no país. E as expectativas são de que até 2020 a região produza mais da metade de todo leite brasileiro.

Em Santa Catarina, o leite já é a atividade agropecuária com o maior crescimento. Envolvendo 45 mil produtores em todo o estado, a produção girou em torno de 3,4 bilhões de litros em 2017 – um incremento de 8% em relação a ano anterior. Os números consolidaram o estado como o quarto maior produtor de leite do país.

Veja também

Manejo sanitário no período de cria melhora desenvolvimento do bezerro23/10 Evoluir para manejos sanitários mais efetivos é uma forma de tornar a produtividade nas fazendas ainda mais lucrativa. Porém, de acordo com Ingo Mello, gerente técnico da Ourofino Saúde Animal, alguns erros acontecem frequentemente nesse campo e um ponto de atenção é a fase de cria do bezerro, que se intensifica neste período do ano e impacta a qualidade......
Ordenha robotizada reduz mão de obra na produção leiteira28/03 O processo de ordenha tem se modernizado nos últimos anos. O que antigamente era um trabalho totalmente manual vem se automatizado. Uma das novidades tecnológicas é a ordenha robótica que, atualmente, está presente em cerca......

Voltar para EDITORIAS