-
Postado em 26 de Julho de 2019 às 12h41

Santa Catarina tem dois estabelecimentos habilitados a exportar produtos lácteos para China

Mercado (153)

A China abriu o mercado para os produtos lácteos brasileiros e Santa Catarina tem duas empresas habilitadas a exportar queijo, manteiga e leite condensado. O anúncio foi feito pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) nesta quarta-feira (24). A notícia anima o setor produtivo e traz uma oportunidade para o agronegócio catarinense.

Ao todo, a China habilitou 24 plantas brasileiras para exportação de produtos como leite em pó e queijos. Em Santa Catarina estão autorizadas as empresas: Laticínios São José, de São João do Oeste, e a Aurea Indústria e Comércio, de Braço do Norte. "Esta é uma oportunidade importante para Santa Catarina. Acreditamos que o futuro da produção de leite é conquistar o mercado externo e o setor produtivo deve se preparar para isso. Santa Catarina tem diferenciais que podem agregar valor ao leite produzido no estado, como, por exemplo, a sanidade dos nossos rebanhos. Estamos muito felizes com a abertura do mercado chinês e queremos agora nos consolidar no mercado internacional", destaca o secretário da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, Ricardo de Gouvêa.

Santa Catarina é o quarto maior produtor de leite do Brasil e esta é a atividade agropecuária com o maior crescimento no estado. Em 2017, a produção catarinense girou em torno de 3,4 bilhões de litros e o leite representa uma importante fonte de renda para mais de 100 mil agricultores. Segundo o presidente do Sindileite-SC, Valter Antonio Brandalise, a abertura do mercado chinês vem em boa hora para o setor produtivo e pode trazer mais equilíbrio para a cadeia de lácteos no país. "Com o crescimento na produção do Brasil, em especial na região Sul, em breve teremos excesso de leite no país. A abertura de novos mercados é uma oportunidade para internacionalizar a produção brasileira e regular o mercado interno. A expectativa é de que em breve tenhamos mais empresas catarinenses habilitadas a exportar para a China, já que outras unidades também estão em processo de homologação de plantas", ressalta.

Desafios

Para conquistar o mercado internacional, Santa Catarina tem ainda alguns desafios: melhorar a competitividade do leite, passando pela organização da cadeia produtiva e a melhoria da infraestrutura. "Temos um dever de casa para fazer. O Brasil já evoluiu muito em qualidade e o produtor rural e iniciativa privada estão conscientes de que este é o caminho. O Sul do país tem condições de tomar a frente das exportações brasileiras", afirma o presidente do Sindileite-SC.

Exportações

Com a habilitação dos estabelecimentos, a expectativa é o setor exportar US$ 4,5 milhões em queijos, estima a Viva Lácteos - Associação Brasileira de Laticínios. A China é o maior importador de leite do mundo. Em 2018, o país comprou mais de 14 bilhões de quilos de leite, 18% de toda importação mundial.

"O mercado chinês já é um grande parceiro de Santa Catarina em outros setores, principalmente, na importação das carnes produzidas no estado. Queremos expandir essa relação e incluir o leite na nossa pauta de exportações", conclui o secretário da Agricultura Ricardo de Gouvêa.

 

Texto e imagem: Assessoria de Imprensa do Governo do Estado de Santa Catarina

Veja também

Epagri usa tecnologia para atender remotamente os agricultores catarinenses25/03/20 Durante a quarentena imposta pelo Decreto nº 515 do governo do Estado, a extensão rural da Epagri está atendendo de forma remota os agricultores, para evitar o deslocamento deste público até os escritórios municipais da Empresa. Assim, ao encontrar um problema na lavoura ou na criação que necessite solução urgente, ou mesmo compartilhar algo de......

Voltar para EDITORIAS