-
Postado em 24 de Setembro de 2020 às 19h04

Saldo comercial do agro é recorde em 2020

+ Agro (72)

Superávit de janeiro a agosto foi de US$ 61,5 bilhões. Exportações somaram US$ 69,6 bilhões no acumulado, alta de 8,3% em relação ao mesmo período

A balança comercial brasileira do agro registrou superávit recorde de US$ 61,5 bilhões de janeiro a agosto de 2020. As exportações somaram, em receita, US$ US$ 69,6 bilhões no acumulado dos oito primeiros meses deste ano, alta de 8,3% em relação ao mesmo período de 2019, e 152,4 milhões de toneladas em volume (aumento de 15,8%).

Os dados foram divulgados pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), com base nas informações do Ministério da Economia. Os produtos mais exportados foram: soja em grãos (US$ 25,7 bilhões); carne bovina in natura (US$ 4,8 bilhões); o açúcar de cana em bruto (US$ 4,2 bilhões); a celulose (US$ 4 bilhões) e farelo de soja (US$ 3,9 bilhões). Esses cinco produtos representaram 61,3% dos embarques totais no período.

A China foi o principal destino dos produtos brasileiros de janeiro a agosto, com receita de US$ 26,4 bilhões e uma parcela de 38% das exportações. O segundo mercado foi a União Europeia, que respondeu por 16% dos embarques do agro, que somaram US$ 11,3 bilhões. As vendas para os Estados Unidos foram de US$ 4,2 bilhões, fatia de 6,1% do total. Japão e Hong Kong completam a lista dos principais consumidores no acumulado de 2020.

No desempenho mensal, as exportações em agosto totalizaram US$ 8,9 bilhões, fechando o mês com saldo positivo de US$ 8 bilhões, aumento de 7,8% em relação a agosto de 2019. Em volume, o total embarcado foi de 22,2 milhões de toneladas, variação de 15,4% na comparação com o mesmo mês do ano passado.

Os principais produtos exportados no mês foram a soja em grãos (US$ 2,2 bilhões), o milho (US$ 1 bilhão) o açúcar de cana em bruto (US$ 824,3 milhões), a carne bovina in natura (US$ 654,2 milhões) e o farelo de soja (US$ 497 milhões), que tiveram participação de 58,7% do total das vendas externas no mês. China, União Europeia, Estados Unidos, Coreia do Sul e Tailândia foram os principais destinos dos produtos do agro brasileiro.

A CNA também analisou o comércio de alguns produtos que fazem parte do escopo do projeto Agro.BR, desenvolvido em parceria com a Apex Brasil para estimular a inserção de pequenos e médios produtores rurais no mercado internacional. Destaque para chá, mate e especiarias, frutas, lácteos, pescados e produtos apícolas. Mais informações no site www.cnabrasil.org.br.

 

 

Texto: Assessoria de Comunicação CNA

Imagem: Unsplash

Veja também

Em 2020, mercado agro se digitalizou19/01Com pandemia, mercado avançou rumo à digitalização e intensificou uso plataformas digitais, aponta especialista A pandemia mundial causada pelo covid-19, a sanção da Lei do Agro no Brasil e a desburocratização do acesso ao crédito fizeram de 2020 o ano em que o mercado agro nacional caminhou a passos largos rumo à digitalização. Apenas na agtech Bart Digital (www.bartdigital.com.br), as CPRs (Cédula de Produto Rural) eletrônicas movimentam R$ 3,2......
Geração de energia solar reduz conta de luz no campo22/03/20 O sistema de geração de energia elétrica solar tem se tornado uma alternativa para o produtor reduzir a tarifa da conta de luz na propriedade rural. De acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o Brasil......
Outono pode ter fraca incidência do El Niño, prevê Inmet19/03/20 A previsão do outono, que começa na madrugada desta sexta-feira (20), indica neutralidade do fenômeno El Niño (diminuição da temperatura da superfície das águas do Oceano Pacífico). De acordo......

Voltar para EDITORIAS