-
Postado em 05 de Fevereiro de 2019 às 11h01

Receita do setor agropecuário cresce 3,1%

Mercado (135)

VBP supera R$ 600 bilhões, impulsionado pelo setor agrícola. 

O Valor Bruto da Produção (VBP) do setor agropecuário, que mede o faturamento da atividade “dentro da porteira”, fechou 2018 em R$ 600,3 bilhões, crescimento de 3,1% em relação a 2017, segundo a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

O resultado foi impulsionado principalmente pela receita do setor agrícola, que cresceu 4,4% e atingiu R$ 393,8 bilhões. Os maiores faturamentos foram observados no trigo (57,7%), do algodão em pluma (51%), cacau (46,1%), café arábica (23,4%), soja (17,6%) e batata-inglesa (15,1%).

As altas do trigo, do algodão, do cacau e da soja foram puxadas pela elevação nos preços e na produção, enquanto o desempenho do café foi atribuído à variação positiva na produção, enquanto o faturamento da batata subiu por conta dos preços.

O VBP da pecuária no ano passado foi de R$ 206,55 bilhões, crescimento de 0,8% sobre o resultado de 2017. Destaques positivos para o leite (5,1%), único produto da pecuária que apresentou alta nos preços e na produção. 

A carne bovina apresentou crescimento de 2,5% por conta do aumento da produção e a carne de frango cresceu 2,1% por conta dos preços. Ovos e Suínos apresentaram retração no faturamento de 12,1% e 15,7%, respectivamente.


2019 

A primeira projeção da CNA para este ano aponta uma alta de 5,6% no VBP em relação a 2018. Desta forma, o faturamento deve atingir R$ 633,9 bilhões. A CNA prevê elevações de 4,7% para a receita da agricultura (R$ 412,2 bilhões) e de 7,3% na pecuária (R$ 221,6 bilhões). Destaque para a soja, carne bovina, milho, cana-de-açúcar e leite, que devem ter os maiores faturamentos.


Por Assessoria de Comunicação CNA/SENAR
Foto César Machado/Agrostock

 

 

 

O resultado foi impulsionado principalmente pela receita do setor agrícola, que cresceu 4,4% e atingiu R$ 393,8 bilhões. Os maiores faturamentos foram observados no trigo (57,7%),  algodão em pluma (51%) e cacau (46,1%. 

Veja também

ABRASS comunica medidas preventivas e impacto do COVID-19 no setor de produção de sementes de soja23/03 Diante do atual cenário de pandemia do Covid-19 e considerando as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS), do Governo Federal – Ministério da Saúde e demais autoridades sanitárias estaduais e municipais, a Associação Brasileira de Produtores de Sementes de Soja – ABRASS – informa que adotou medidas de......
Brasil exportará carne bovina e miúdos para Tailândia29/05 A Tailândia comunicou que abriu seu mercado para carne bovina com osso, carne desossada e miúdos comestíveis de bovino do Brasil. Cinco estabelecimentos frigoríficos foram aprovados, pelo país asiático, a exportar. As......
Energia no meio rural ficará mais cara20/02/19 A Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (Ocesc) vai pedir a revogação do decreto publicado no ano passado que reduz gradualmente os descontos sobre a tarifa básica de energia elétrica dos......

Voltar para EDITORIAS