-
Postado em 28 de Junho de 2019 às 08h50

PIB DO AGRO SOBE, MAS RESULTADO NO 1º TRIMESTRE É NEGATIVO

Mercado (153)

Agricultura tem desempenho negativo no ano, enquanto pecuária teve alta. 

 

O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio teve alta de 0,10% em março, mas nos primeiros três meses do ano o resultado foi de queda de 0,11%, segundo a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).

O resultado mensal foi puxado pela pecuária, que subiu 0,52%, enquanto o segmento agrícola caiu 0,05%. O estudo mostrou elevação nos setores de insumos (0,83%), agroindústria (0,16%) e serviços (0,12%) em março, enquanto no mesmo período o setor primário recuou 0,17%.

Já no trimestre, a agricultura teve retração de 0,16%, influenciada principalmente pela queda de 2,18% na atividade primária, apesar da variação positiva nos outros elos da cadeia produtiva do agro. A pecuária teve variação de 0,04%, com crescimento verificado nos ramos de insumos (2,14%) e na produção primária (2,29%).

O segmento de insumos teve o melhor desempenho dentro da cadeia do agronegócio no primeiro trimestre, de 3,45%. Na agricultura, a alta foi de 4,05%, impulsionada pelos fertilizantes, que tiveram altas expressivas nos preços, e pelo crescimento da produção de defensivos. Na pecuária, a alta de 2,14% no período foi puxada pelos preços das rações.

Na produção primária, apesar de os preços subirem, a elevação dos custos de produção segue reduzindo a rentabilidade gerada no agronegócio.

Fonte: CNA

Foto: Pixabay 

Veja também

PIB do agronegócio cresce 5,26% no 1° semestre28/09/20Resultado foi impulsionado principalmente pelo segmento primário, que cresceu mais de 14% de janeiro a junho O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio cresceu 5,26% no primeiro semestre de 2020 na comparação com o mesmo período do ano passado, segundo a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), e o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). O principal destaque foi o segmento primário (dentro da porteira), com......
CNA diz que decisão da OIE permitirá conquista de novos mercados para a carne brasileira24/06Organização Mundial de Saúde Animal reconheceu RS, PR, AC, RO e parte de AM e MT como zonas livres de febre aftosa sem vacinação A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) avaliou que o reconhecimento de mais estados como zonas livres de febre aftosa sem vacinação mostra a eficiência do sistema sanitário brasileiro e vai......

Voltar para EDITORIAS