-
Postado em 12 de Junho de 2020 às 09h11

Paraná representa 40% das exportações de frango do país

Avicultura (40)

No primeiro quadrimestre de 2020, os embarques de carne de frango paranaense acumularam 539 mil toneladas, o que colocou o Estado como responsável por 40,29% do volume exportado pelo Brasil, de acordo com os dados divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex). Apesar dos impactos da pandemia do coronavírus, o agronegócio deve manter sua importância significativa para a balança comercial do Paraná.

Além do aumento das exportações em termos de volume, o Estado também passou a responder por 39,45% da receita cambial do produto. No mercado externo, a China é o maior comprador da carne de frango paranaense, demanda acentuada por aspectos econômicos e pelo comportamento do mercado interno chinês.

“As exportações aceleraram neste momento, primeiramente, pelo aumento da competitividade no mercado internacional, devido à cotação do dólar que deixou a nossa carne bem mais barata. Também vemos um aumento da demanda, sobretudo da China, onde o comportamento do consumidor mudou por conta do coronavírus. O governo chinês proibiu a venda e o consumo de animais exóticos no país, o que acarretou no aumento do consumo de outras carnes, principalmente bovinos, suínos e aves”, comenta o técnico do Departamento Técnico Econômico (DTE) do Sistema FAEP/SENAR-PR, Luiz Eliezer Ferreira.

Em paralelo, em fevereiro deste ano, o país asiático identificou um surto de gripe aviária (H5N1) em uma propriedade rural na província de Hunan. Para conter a doença, as autoridades locais abateram mais de 17 mil aves. A China ainda enfrenta os impactos da Peste Suína Africana (PSA), que levou ao abate de milhões de suínos do plantel chinês e alterou a dinâmica do mercado de proteína animal.

Bom ritmo

Segundo o presidente do Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná (Sindiavipar), Domingos Martins, o setor está preparado para atender às exigências do mercado consumidor externo diante deste aumento da demanda. “O principal tripé que sustenta esses resultados positivos é qualidade, sanidade e quantidade. O acréscimo, tanto no volume de exportações quanto no de produção, acontece porque a avicultura paranaense tem a capacidade de trabalhar exatamente de acordo com a sua demanda, para então projetar a oferta”, destaca.

Futuramente, com o fim da pandemia e acomodação do cenário econômico, segundo Ferreira, a demanda do mercado externo deve retroceder. Mas, no médio prazo, a mudança de comportamento do consumidor chinês em relação ao consumo de carnes pode permanecer.

Neste cenário, a expectativa é que o Paraná consiga responder por 50% das exportações de carne de frango do país. “Nos próximos anos, devido à estrutura das agroindústrias, acreditamos ser possível dobrar o volume de exportação para países como a China”, adianta o presidente do Sindiavipar.

Em relação à diversificação de mercados, Martins destaca que a indústria tem se mobilizado para consolidar novas habilitações de plantas exportadoras. De acordo com o presidente, ainda nos dados do primeiro quadrimestre, é possível ver um acréscimo equilibrado nos envios para países como o Japão e Arábia Saudita, se comparado ao mesmo período do ano passado.

Ainda segundo o dirigente, o reconhecimento do Paraná como área livre de febre aftosa sem vacinação, previsto para ser oficializado em maio de 2021, deve contribuir para o aumento da comercialização de produtos paranaenses.

 

Com informações Assessoria de Comunicação Sistema FAEP/SENAR-PR

Veja também

7 dicas para realizar um programa de biosseguridade eficiente em incubatórios26/11/20Manter o monitoramento nos principais pontos de entrada de doenças no incubatório pode garantir a produção de aves de qualidade e com melhores resultados Os incubatórios são criadouros que passam por constantes ameaças de patógenos, devido às condições climáticas no interior do ambiente, circulação de pessoas, tráfego de veículos de diversos locais e entrada de materiais. Somado a isso, a alta rotatividade de ovos que chegam vindos de diversas granjas contribuem para que os......
Biossegurança para uma produção com menos riscos23/11/18 Questões de segurança e sanidade dos animais ainda são os principais desafios nos aviários de aves de postura.   Produzir ovos pode ser uma tarefa difícil, principalmente se o produtor não estiver atento......
Mais frango, por favor!23/11/18 A produção de carne de frango no Paraná desempenha importante papel na oferta de saúde, nutrição e sabor nos quatro cantos do País – e até do mundo - por um preço competitivo. Ou seja, a......

Voltar para EDITORIAS