-
Postado em 05 de Março de 2020 às 13h50

OCESC participa de Programa de Incentivo à Produção de Cereais de Inverno

Grãos (70)

A Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (OCESC) e outras entidades do setor agropecuário de Santa Catarina participam do Programa de Incentivo ao Plantio de Grãos de Inverno para a Produção de Ração. Criado pela Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, o programa visa ampliar a produção de trigo, triticale e cevada para suprir, em parte, o déficit de grãos, principalmente do milho, destinados à alimentação de animais no Estado.

Entre as competências da OCESC dentro do programa está o incentivo às cooperativas e os associados para o plantio de cereais de inverno. Visando atender à meta definida, a OCESC coordena um projeto piloto com o triticale, envolvendo agroindústria e cooperativa catarinense, para conhecer melhor os custos da cultura, sanidade, desempenho nutricional e produtividade no campo.

Para o presidente da OCESC, Luiz Vicente Suzin, a iniciativa é importante para a economia do Estado de Santa Catarina. "A agropecuária é um dos principais motores da economia catarinense e as 47 cooperativas agropecuárias têm um papel fundamental", comenta.

Além disso, em parceria com a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), a OCESC deve propor o diálogo com órgãos federais para obter financiamento de pesquisas, com o objetivo de desenvolver sementes geneticamente melhores dos grãos, aumentando a produtividade.

Déficit na produção de milho em Santa Catarina 

O Programa de Incentivo à Produção de Cereais de Inverno foi criado para potencializar a produção de grãos no Estado. No caso do milho, Santa Catarina consome anualmente cerca de 6,8 milhões de toneladas/ano, mas produz 2,8 milhões de toneladas.

Para suprir essa necessidade e estimular o crescimento do setor no Estado, as lideranças do agronegócio desenvolveram, nos últimos anos, vários meios de amenizar o problema: o Programa Terra Boa, por exemplo, que fornece sementes e assistência técnica, as discussões em torno da Rota do Milho e o aumento da capacidade de armazenagem.

 

Com informações Assessoria de Comunicação Ocesc

Veja também

Custos de produção do trigo tem alta de 21,77% para esta safra18/03Projeção da FecoAgro/RS avalia que gasto do produtor será de R$ 3,99 mil por hectare ou R$ 66,62 a saca A safra de trigo deste ano iniciará com alta de 21,77% nos custos de produção se comparado a 2020. É o que indica o primeiro levantamento dos custos de produção da cultura do trigo para 2021 realizado pela Federação das Cooperativas Agropecuárias do Estado do Rio Grande do Sul (FecoAgro/RS). Na avaliação da entidade, a relação......

Voltar para EDITORIAS