-
Postado em 22 de Agosto de 2019 às 09h09

Julho tem queda nos custos de produção de suínos e de frangos de corte

Mercado (153)

Os custos de produção de suínos e de frangos de corte calculados pelas CIAS, a Central de Inteligência de Aves e Suínos da Embrapa, voltaram a cair em julho depois de registrarem uma alta considerável no mês anterior. Assim, o ICPFrango fechou o sétimo mês do ano em 215,89 pontos (-1,41% em relação a junho). Já o ICPSuíno chegou aos 221,47 pontos (-0,10% em comparação a junho).

O gasto com a alimentação dos animais, principal item dos componentes do custo de produção, causou a maior influência nos índices. No caso dos frangos de corte, a variação foi de -2,14%, chegando a -0,11% para os suínos.

Em 2019, o ICPFrango acumula uma variação de -0,93%. O custo de produção do quilo do frango de corte vivo no Paraná passou de R$ 2,83 em junho para R$ 2,79 em julho, valor calculado a partir dos resultados em aviário tipo climatizado em pressão positiva.

Já o custo por quilo vivo de suíno produzido em sistema de ciclo completo em Santa Catarina se manteve praticamente estável, passando de R$ 3,88 em junho para R$ 3,87 em julho. Neste ano, o ICPSuíno acumula alta de 1,03%.

Os índices de custos de produção foram criados em 2011 pela equipe de socioeconomia da Embrapa Suínos e Aves e Conab. Santa Catarina e Paraná são usados como estados referência nos cálculos por serem os maiores produtores nacionais de suínos e de frangos de corte, respectivamente.

Texto e Imagens: Assessoria de Comunicação Embrapa Suínos e Aves

Veja também

CNA avalia impacto do coronavírus no Brasil e Estados Unidos20/04/20 A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) promoveu uma transmissão ao vivo por meio do Instagram, na sexta (17), para avaliar o panorama do agronegócio brasileiro e norte-americano durante a crise do coronavírus. O encontro virtual contou com a participação da superintendente de Relações Internacionais da CNA, Lígia......
Geração de empregos no agro tem melhor resultado em 10 anos15/03Segundo dados do Caged, setor criou 61.637 novas vagas em 2020 O agro teve em 2020 o melhor resultado na geração de empregos no setor em 10 anos, apesar da pandemia e dos resultados abaixo do esperado na criação de novos postos de trabalho. É o que mostra o Comunicado......

Voltar para EDITORIAS