-
Postado em 04 de Junho de 2021 às 10h45

Governo do Estado investe mais de R$ 243,5 milhões em ações contra a estiagem em SC

+ Agro (138)

O Governo do Estado está investindo R$ 243,5 milhões em ações de planejamento hídrico contra os efeitos da estiagem em Santa Catarina. As medidas incluem instalação de reservatórios, implantação de novas redes e adutoras para reforço de abastecimento, em especial de áreas periféricas ou rurais, a perfuração de novos poços, além de linhas de crédito e fomento para auxiliar agricultores a enfrentar o período. Mais de 74,1 mil famílias de produtores rurais e 76 municípios serão atendidos pelas ações.

“Estamos atentos e com nossas equipes mobilizadas para acompanhar a estiagem que afeta principalmente os municípios do Grande Oeste catarinense. Nosso plano é investir R$ 1,7 bilhão justamente para ampliar a infraestrutura hídrica e preservar mananciais, o que irá tornar o Estado mais resiliente a períodos de baixo volume de chuvas. Os investimentos vão ajudar as famílias mais carentes e os produtores rurais a enfrentar esses momentos e construir um planejamento hídrico para o futuro”, afirmou o governador Carlos Moisés.

A estiagem se iniciou há um ano, mas a chuva extremamente escassa em abril de 2021 contribuiu para agravar a crise hídrica. Os acumulados foram baixos na maior parte do Estado e não chegaram a 50 milímetros (mm) nas regiões do Extremo Oeste, Oeste, Meio-Oeste, Planaltos, Alto e Médio Vale do Itajaí. Na região de Concórdia, por exemplo, a chuva não atingiu 100 mm no último mês. No Litoral e áreas próximas os volumes de chuva foram mais elevados, tendo alguns municípios registrado até 150 mm.

Em função da estiagem, 34% dos municípios catarinenses estão em estado de atenção, 3% em situação de alerta e 5% em nível crítico em relação ao abastecimento urbano.

Crédito para poço artesiano

Na Linha Rodeio do Herval, no interior de Chapecó, o produtor rural José Carlos Araújo mantém 82 vacas leiteiras e 31 hectares de plantação de milho para silagem. A produção diária ultrapassa os 2 mil litros de leite. Para isso, no entanto, são necessários cerca de 10 mil litros de água por dia. Araújo começou a sentir os efeitos da estiagem há cerca de dois anos.

Em um primeiro momento, abriu uma segunda fonte de água para os animais, porém não foi o suficiente. Decidiu, então, buscar o apoio da Epagri para fazer o projeto de um poço artesiano em sua propriedade. Quando estiver totalmente operacional, o poço será capaz de fornecer até dois mil litros por hora, acima da necessidade atual.

O investimento para cavar o poço foi de R$ 60 mil, realizado por meio de um financiamento. O apoio do Governo do Estado se deu pelo pagamento dos juros da operação financeira. Segundo Araújo, a preocupação com a estiagem cresce entre os agricultores da região Oeste. Por conta disso, ele exalta as ações do Estado para enfrentamento da crise hídrica.

“Esse suporte é muito importante. É uma necessidade que nós, produtores rurais, temos, de contar com o Governo Estado. Sem água e sem o subsídio estadual, a nossa produção se torna inviável, ainda mais com o aumento dos custos que estamos vivendo. Nosso objetivo é seguir produzindo, pois quem trabalha no campo tem isso no sangue. Foi pensando nisso que fizemos esse investimento, com a ajuda do Governo do Estado”, ressalta Araújo.

Apoio a mais de 74 mil famílias de produtores

Apenas a Secretaria de Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural projeta R$ 214,8 milhões em investimentos para atender os produtores rurais de Santa Catarina em 2021. Entre os programas de apoio, há linhas de crédito especiais para construção de sistemas de captação, armazenagem e distribuição de água.

Com o Água para Todos, os produtores têm acesso a financiamentos sem juros para construção de sistemas de captação, armazenamento, tratamento e distribuição de água, com a finalidade de dessedentação humana e animal e irrigação. Os investimentos podem ser individuais, em um limite de R$ 40 mil por família, ou coletivos, de até R$ 200 mil, com cinco anos de prazo para pagar. As famílias em situação de vulnerabilidade social e renda terão condições especiais.

A Secretaria da Agricultura possui ainda outra linha de crédito sem juros para apoiar as ações de isolamento e recuperação de mata ciliar, proteção e recuperação de nascentes, terraceamento e cobertura de solo. O Cultivando Água e Protegendo o Solo traz financiamentos de até R$ 15 mil, com cinco anos de prazo para pagar e cada parcela quitada em dia terá um desconto de 30%.

Para buscar um volume maior de recursos, os produtores rurais podem recorrer ainda ao Investe Agro SC. Nele, a Secretaria da Agricultura oferece a subvenção aos juros de financiamentos contratados com agentes bancários, em um limite de até R$ 100 mil, com oito anos de prazo para pagar e subvenção de juros de até 2,5% ao ano.

Já a Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan) está investindo R$ 25,9 milhões na construção de redes, adutoras, ampliação de captações de água, transposição de rios e açudes, perfuração de poços profundos, contratação de caminhões-pipas e na aquisição de equipamentos. As ações, boa parte delas emergenciais, contemplam 19 municípios do Oeste e São Joaquim, na Serra.

De acordo com a Defesa Civil, cerca de 43 municípios já encaminharam decretação de emergência em função da estiagem. O órgão também repassa reservatórios e entrega kits de transporte de água limpa para 76 municípios, com investimentos que somam de R$ 2,8 milhões. Esses equipamentos permitiram o transporte e o armazenamento de 9 milhões litros de água nas regiões mais atingidas.

 

Texto e imagem: MB Comunicação Empresarial

Revista Setor Agro & Negócios O Governo do Estado está investindo R$ 243,5 milhões em ações de planejamento hídrico contra os efeitos da estiagem em Santa Catarina. As medidas incluem instalação...

Veja também

Mudanças climáticas acentuam riscos das micotoxinas em insumos da cadeia de proteínas animais, alerta Pesquisa Mundial de Micotoxinas19/04/21 Micotoxinas estão presentes em 68% das rações e matérias-primas analisadas na América Latina. Na América do Norte, o risco de contaminação é ainda maior: 72% das amostras de milho e em 89% das amostras de cereais.   "Os eventos climáticos não estão apenas mais frequentes. Eles também são mais extremos......
Keyrus e Syngenta lançam plataforma de inteligência comercial27/07/20 A divisão de Crop Protection da Syngenta, voltada para o segmento de defensivos agrícolas e tratamento de sementes, acaba de lançar a plataforma de inteligência comercial Synapse Força de Vendas. Desenvolvida pela Keyrus,......
CNA pede inclusão de produtores rurais nos grupos prioritários de vacinação11/03/21Medida é importante para garantir a saúde de todos os envolvidos na produção de alimentos, atividade considerada essencial durante a pandemia A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) enviou na sexta (29) um ofício ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, solicitando a inclusão dos produtores rurais e demais envolvidos na cadeia de......

Voltar para EDITORIAS