-
Postado em 15 de Julho de 2019 às 09h51

Exportações de carne suína crescem 81% em junho

Suinocultura (23)

As exportações brasileiras de carne suína (considerando todos os produtos, entre in natura e processados) totalizaram 63,6 mil toneladas em junho, informa a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). O número é 81% superior ao registrado no mesmo período do ano passado, quando foram exportadas 35 mil toneladas.

A alta é ainda maior na receita cambial do mês. No total, os embarques geraram divisas da ordem de US$ 137,7 milhões, saldo 111,9% superior em relação ao registrado no mesmo mês de 2018, com US$ 64,9 milhões.

“O preço médio das exportações em junho apresentou elevações tanto na comparação com o mesmo período do ano passado, quanto em relação à maio. O mercado internacional aumentou a demanda por produtos, o que tem pressionado os preços médios da carne suína”, analisa Francisco Turra, presidente da ABPA.

No acumulado do ano, as vendas internacionais de carne suína do Brasil totalizaram 346,6 mil toneladas, volume que supera em 24,5% o total embarcado no primeiro semestre de 2018, com 278,3 mil toneladas.

Em receita, o saldo semestral chegou a US$ 699,7 milhões, número 23,4% superior ao registrado em 2018, com US$ 567,2 milhões.

Principal destino das exportações em 2019 (com 26,7% do total), a China incrementou suas compras em 30,7% no período, com total de 91,2 mil toneladas no primeiro semestre. No mesmo período, a Rússia importou 26,1 mil toneladas (7,6% do total) - no mesmo período de 2018, as exportações estavam suspensas para este mercado. Na América do Sul, Uruguai e Chile foram destinos de, respectivamente, 21,2 mil toneladas (+17%) e 21 mil toneladas (+45%).

“A média mensal das exportações neste primeiro semestre, com 57,2 mil toneladas mensais, são superiores às registradas no mesmo período do ano passado e equivalentes às médias de 2016, quando os embarques superaram a marca de 700 mil toneladas no ano”, ressalta Ricardo Santin, diretor-executivo da ABPA.

 

Texto: Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA)

Imagem: Embrapa Suínos e Aves
 

Veja também

Como proteger seu plantel de agentes bacterianos respiratórios na fase de desmame dos leitões30/05/19 As doenças respiratórias são um dos principais fatores de prejuízo na suinocultura o problema é a causa de cerca de 45% das mortes durante a fase de creche e mais de 60% das mortes em recria e terminação. A etapa mais crítica da vida de um leitão certamente é o desmame. Além de sair de perto da mãe e passar por um grande estresse,......
Os benefícios das fibras funcionais na suinocultura19/03 Mais de 100 profissionais ligados a indústria produtora de carne suína estiveram presentes no dia 10 e 12 de março em Toledo (PR) e Chapecó (SC) consecutivamente para a segunda edição do FiberDay, evento organizado......

Voltar para EDITORIAS