-
Postado em 08 de Junho às 10h11

Estiagem prejudica pecuária e compromete abastecimento de propriedades rurais em SC

Mercado (133)

A falta de chuva continua preocupando o setor produtivo em Santa Catarina e agravando os prejuízos no meio rural. Considerada a mais severa dos últimos 14 anos no Estado, a estiagem prolongada iniciada em julho do ano passado já reduziu em 10% a produção de milho, 7% de feijão e 20% do leite, e agora está impactando na atividade pecuária e no abastecimento das propriedades rurais.

A preocupação é da Federação da Agricultura e Pecuária de Santa Catarina (Faesc) que fez um levantamento da situação junto aos produtores em todas as regiões do Estado. Segundo o vice-presidente, Enori Barbieri, finalizada a safra de grãos, a falta de chuva passou a comprometer o abastecimento dos animais nas propriedades e o desenvolvimento das pastagens de inverno, o que tem impacto direto na produção da pecuária leiteira e de corte. Os problemas mais graves estão nas regiões sul, planalto serrano e planalto norte, onde a quantidade de chuva dos últimos dias tem sido menor que nas demais regiões.

Revista Setor Agro & Negócios "No oeste, extremo-oeste e meio-oeste tem chovido mais, o que ajudou na recuperação das pastagens, mesmo sem o restabelecimento hídrico total na maioria das cidades. Nas demais...

"No oeste, extremo-oeste e meio-oeste tem chovido mais, o que ajudou na recuperação das pastagens, mesmo sem o restabelecimento hídrico total na maioria das cidades. Nas demais regiões, os produtores de suínos e aves estão tendo que complementar o abastecimento dos animais e até o consumo próprio com caminhões pipas", detalha Barbieri ao destacar que a situação para os produtores de leite é mais preocupante.

"Além das pastagens comprometidas pela estiagem, os pecuaristas não estão conseguindo compensar a alimentação dos animais com ração, devido ao alto custo da nutrição animal, influenciado pelos bons preços do milho e da soja no mercado. São dois problemas que provocam queda na produção de leite nestas regiões", sublinha.

O presidente José Zeferino Pedrozo chama atenção dos municípios para ampararem os produtores nas regiões mais afetadas. Em todo o Estado, mais de 90 cidades declararam situação e emergência, medida que assegura ações administrativas de auxílio à produção.

Revista Setor Agro & Negócios "Muitos produtores estão relatando que os prefeitos ainda não declaram situação de emergência. Essa iniciativa é importante porque permite a prorrogação...

"Muitos produtores estão relatando que os prefeitos ainda não declaram situação de emergência. Essa iniciativa é importante porque permite a prorrogação dos prazos dos financiamentos, o que os auxilia neste momento de queda na produção e prejuízos na safra", ressalta Pedrozo.

Além dos decretos, os produtores também estão solicitando recursos para a perfuração de poços artesianos.

PREVISÃO

De acordo com a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri/Ciram), as previsões para junho, julho e agosto no Estado são para chuvas abaixo da média climatológica. O período com melhor perspectiva de chuva é nas próximas duas semanas, 9 a 18 de junho. Segundo a meteorologista, Gilsânia Cruz, de 9 a 13, a chuva deve ocorrer com maior frequência devido às áreas de baixa pressão e passagem de duas frentes frias nos dias 10 e 12. Os maiores acumulados estão previstos para as regiões oeste e sul.

A perspectiva mais otimista para junho anima o setor. "A chuva esperada para este mês pode regular a umidade de grãos e recuperar as pastagens", projeta Barbieri.

"Os produtores estão aguardando mais chuva para amenizar a situação. Há defasagem de água há anos, alcançando mais de 500 milímetros em muitas regiões só neste ano. Sabemos que não é qualquer quantidade que vai resolver, mas certamente contribuirá neste período", acrescenta Pedrozo. 

 

Com informações MB Comunicação

Veja também

Terceirização de frotas no agronegócio auxilia na liberação de fluxo de caixa de empresas29/04 Seja para cultivo, plantação, colheita ou transporte, a terceirização de máquinas e equipamentos agrícolas tem entre suas principais vantagens a redução do uso de limites de crédito pelas empresas e produtores do setor. Isso porque o recurso que seria destinado à compra desses veículos, pode ser investido em questões operacionais,......

Voltar para EDITORIAS