-
Postado em 06 de Agosto de 2019 às 09h51

Cuidados com a saúde intestinal dos suínos promovem redução no uso de antibióticos

Suinocultura (38)

A redução no uso de antibióticos como promotores de crescimento é uma exigência cada vez maior nos mercados interno e externo. Com isso, os suinocultores buscam alternativas para diminuir a utilização dessas substâncias. Um desses métodos é a utilização de soluções naturais à base de minerais orgânicos, ácidos orgânicos e leveduras na alimentação dos suínos, conferindo maior resistência do trato intestinal desses animais.

Problemas intestinais como a diarreia impactam em perda de peso e produtividade nas matrizes, uma vez que elas absorvem menos nutrientes do que se estivessem saudáveis. "Essas ferramentas biotecnológicas atuam com o foco de construir uma população bacteriana benéfica, fortalecer as defesas naturais do animal e maximizar o desempenho, o que inclui o ganho de peso e a eficiência alimentar", explica a gerente de vendas para suinocultura da Alltech do Brasil, Sarah Antunes.

Esses impactos positivos têm sido observados pelo suinocultor Jean Fontana, de Charrua (RS). Com a utilização dessas soluções naturais, Fontana aponta a redução nos custos de produção. "Hoje eu tenho um sistema de recria e terminação com uso zero de antibióticos, sem perder a produtividade e a sanidade na granja", explica o produtor.

Para Sarah, a agroindústria tem buscado aumentar a procura por essas soluções naturais, aliando o desejo do mercado com os ganhos na produção. "Junto a exigência de diminuir os antibióticos como promotores de crescimento, deve ser oferecido aos suinocultores opções para preparar os animais para a futura retirada desses medicamentos. Nesse cenário as soluções naturais se apresentam para manter a saúde intestinal e performance dos animais", defende.

Resultados observados

Há dois anos, Fontana sofreu com um vendaval em sua propriedade que o fez perder todos os seus pavilhões. O suinocultor aproveitou o momento para tecnificar sua granja e implementar o uso de soluções naturais na alimentação dos animais. Os resultados obtidos nesse período têm agradado ao produtor.

"Hoje nós temos um ganho de 28, 30 leitões por porca ao ano. Além disso, estamos tendo uma conversão de creche média de 1,35 nos lotes que fizemos o teste com soluções naturais, revelando um crescimento de 0,15 por lote em comparação com os processos que eram adotados antigamente. Em época de crise, você ter acesso a um produto que diminua seus custos é muito importante", finaliza Fontana.

Essas soluções serão apresentadas pela Alltech durante o 12º Simpósio Brasil Sul de Suinocultura, que será realizado entre os dias 6 e 8 de agosto, em Chapecó (SC). Um dos produtos apresentados será o Actigen, composto prebiótico à base de leveduras que proporciona maior resistência e absorção de nutrientes no trato intestinal.

 

Texto e Imagem: Centro de Comunicação Alltech

Veja também

Santa Catarina responde por 58% das exportações brasileiras de carne suína15/08/19 O status sanitário diferenciado e a qualidade permitiu a Santa Catarina se consolidar como o maior produtor e exportador de carne suína do Brasil. De janeiro a julho deste ano, foram 236,6 mil toneladas embarcadas – 58% do total nacional – gerando um faturamento de US$ 467,6 milhões. Ou seja, a cada 10 produtos de carne suína exportados pelo Brasil, 6 são produzidos em......
Pigger Cream a escolha ideal para o apoio a matrizes hiperprolíficas02/06O desenvolvimento da suinocultura nacional exige o uso de tecnologias nutricionais e ferramentas para o suporte aos desafios diários da atividade Sempre em busca por soluções nutricionais voltadas para a suinocultura é que a Polinutri, empresa especializada em nutrição animal sediada em Osasco (SP), trouxe para o mercado o Pigger Cream, produto lançado no......
Custos de produção de suínos sobem 10,93% em julho17/08/20 Os custos mensais de produção de suínos e de frangos de corte calculados pela CIAS, a Central de Inteligência de Aves e Suínos da Embrapa, registram alta em julho. O destaque é para o aumento de 10,93% nos custos de......

Voltar para EDITORIAS